Criar uma Loja Virtual Grátis
Luquinhas, Um menino de rua

Luquinhas, um menino de rua

Luquinhas morava em um orfanato e era muito judiado pelos amigos, comia muito mal, dormia sem banhar para não gastar água, não podia brincar com os amigos visinho, não podia estudar, era um verdadeiro tormento.

Certo dia Luquinhas, foi comprar pão na padaria da outra rua e não voltou mais, os outros meninos ficavam perguntando:

_ Será que Luquinhas não volta mais?

_Será que ele encontrou uma família?

Mas Luquinhas foi morar na rua, em baixo de uma ponte era onde ele dormia junto com outros refugiados. Um dos moradores de rua era maior de idade, tinha 18 anos, cuidava das outras crianças, mas todos tinham que trabalhar para comer. Luquinhas catava latinhas de alumínio na praia, no fim da tarde, ele vendia e comprava pão para seus colegas, o sonho de Luquinhas era ter uma família que lhe desse amor, ter uma casa, uma caminha para dormir, um pai para lhe ensinar a pescar, andar de bicicleta.

Muitas vezes ele e os amigos tinham que fugir pois a gangue do outro bairro vinham atormentar, eles corriam mas a gangue quebrava e roubavam o que ficavam. Novamente eles tinham que conseguir tudo de novo, Juca, um dos meninos, roubava as pessoas na praia, mas quando chegava no beco, Leandro o mais velho, o repreendia dizendo:

_Você quer ser como a gangue do CJ? Não podemos roubar ninguém porque nos queremos uma família e não policia em nossa cola.

Juca:

_Desculpa-me, Eu não vou mais roubar ninguém.

Mas isso só ficava ali, pois quando ele tinha chance ele roubava novamente. Não tinha jeito mesmo. Certa manhã Juca saiu para catar latinha e não voltou mais, todos pensava que a policia tinha levado para a FEBEM, mas logo eles receberam a noticia que ele encontrou uma senhora que ele havia roubado, sentiu pena dele e levou para morar com ela. Ela não tinha filho morava apenas com sua prima e um grande cachorro.

Leandro ficou muito feliz, pois se sentia responsável pelas crianças, por ser o mais velho deles. Um mês depois, Zezinho também foi adotado por um policial, que gostou dele, ele só tinha uma menina e sua esposa não podia ter mais filhos, seu sonho era ter um filho.

Outro dia Luquinhas estava juntando latinha na praia e ao longe avistou um senhor caindo, ele correu e chegando mais perto, ele percebeu que o senhor estava desmaiado, ao lado ele viu um celular, sem demora ele liga para 190 e a policia atende, pede socorro, a polícia pede a localização, ele diz que está perto do kioske na praia, o policial percebe o desespero do garoto e então acredita e diz:

_Fique calmo, como é o seu nome?

O garoto responde:

_Eu sou o Luquinhas, como os outros me chamam, por favor, vem logo ele está desmaiado.

O policial:

_Sim! Já vou acionar a emergência e já - já chegamos aí. Desliga.

Logo a emergência chega, Luquinha diz:

_O celular é dele estava aí perto jogado.

Entrega ao soldado que diz:

_Você pode vir conosco?

Luquinha diz:

_Vou sim! Ele vai ficar bem?

O enfermeiro diz:

_Vai sim ele só desmaiou, por causa da pressão que baixou. Você é parente dele?

Luquinha:

_Não, eu não tenho parentes, só alguns amigos que mora comigo debaixo do viaduto, sou um menino de rua, estava catando latinha na praia para vender e comprar pãozinho para comer mais tarde, eu fugi do Orfanato. Lá eles judiavam de mim e dos meus amigos, então eu fugi e vim morar na rua, aqui é bem melhor do que no Orfanato, vi o Senhor caído e liguei.

Logo chegam ao hospital, dá entrada de internação, o garoto responde algumas perguntas e logo é dispensado pelo policial que leva novamente a praia, ele Chega no beco e conta tudo para Leandro que diz:

_Fez um ótimo trabalho hoje, ajudando o velho, como recompensa, vou te ensinar a nadar e depois a mergulhar, vamos explorar o fundo do mar, eu comprei algumas roupas de mergulho com minhas economias.

No dia seguinte, logo cedo eles saem para a praia, então Leandro ensina Luquinhas a nadar, promete que no dia seguinte depois de juntar mais latinhas, no fim da tarde,  eles irão mergulhar, volta para casa,  no dia seguinte logo cedo após Luquinhas sair para trabalhar, um Senhor já bem velho, chega no beco e diz:

_Olá! Estou procurando um garotinho por nome de Luquinhas? Vocês conhecem?

Leandro:

_Sim Ele saiu para trabalhar, volta mais tarde, quem é o senhor?

O velho:

_Sou Jorge, Luquinhas, me ajudou quando eu desmaiei na praia, vim só para agradecê-lo pessoalmente.

O velho sai e senta no banco da praça mais próxima, e espera por Luquinhas,

Logo que Luquinhas chega Leandro diz:

__Luquinha um velho veio aqui procurar por você.

Luquinha:

_Será que ele é do Orfanato! Que vem me buscar?

Eles respondem:

_Não ele disse que você o ajudou e quer te conhecer. Ele está ali sentado no banco perto da pracinha.

Luquinha segue até a praça e se senta próximo ao seu Jorge e diz:

_Olá! Eu sou Luquinha, eu ajudei o senhor na praia ontem.

Seu Jorge ao ver o garoto e diz:

_Vim aqui para lhe agradecer pela coragem, você é um herói. Conta aqui! Você não tem família?

Luquinha conta sua história, desde o orfanato, seu Jorge se emociona e recorda de seu filho Lucio que é acolhido por D. Socorro então diz:

_Você quer vir morar comigo? Posso adotar você?

Luquinha vê a sinceridade de seu Jorge e aceita. Despede dos seus amigos e diz:

_Obrigado por cuidarem de mim, mas a sorte chegou para mim, não irei esquecer-me de vocês, nunca, podem escrever.

Seu Jorge leva Luquinha para casa e quando D. Socorro conhece o pequeno herói, o leva para a cozinha e diz:

_Pode se fartar com os bolos e frutas, coma a vontade aqui é sua casa.

Seu Jorge prepara um quarto de hospedes e decora com bastantes brinquedos e jogos e então leva Luquinha ao Shopping, ele fica muito feliz e pergunta:

_porque o senhor está fazendo isso pra mim?

Seu Jorge conta a história de Lucio e conta o que Lucio passou quando estava morando na rua e D. Socorro o ajudou e diz:

_Eu fico muito agradecido por alguém cuidar de meu filho então isso é o mínimo que eu posso fazer a Deus, cuidando de um filho dele.

Luquinha:

_Quem é Deus e quem é filho dele?

Seu Jorge então lhe ensina que Deus é o criador de tudo e que todos somos filhos dele.

Seu Jorge vai até o Orfanato e pede a guarda de Luquinha e o orfanato lhe concede. Então registra Luquinha com seu sobrenome. Lucas Fagundes Dias.

Lucas começa a estudar na primeira série, com a ajuda de seu irmão Lucio ele aprende rápido e é bem sucedido na escola.

Ele cresce, termina seus estudos, um dia ele chega do trabalho e encontra seu pai caído no chão da sala, ele pede socorro, mas, já é tarde, seu pai falece, deixa parte da sua herança para os dois. Lucio, vai morar em outro lugar, Lucas monta um instituto particular para os amigos de ruas, que ele não se esqueceu jogarem bola e serem jogadores profissionais.

Fim