Criar um Site Grátis Fantástico
O Reencontro

O Reencontro

Autor: Evandro Tiso

Lúcio, um menino de estatura pequena pele branca e com sardas, todo pintadinho, cabelos ruivos, magro, olhos azuis. Morava em uma casinha na periferia da cidade de Cassimiro D’Oeste em SP. Sua casa de tabuas velhas e cobertura de Eternit, piso áspero, localizada em uma baixada úmida. O sonho de Lúcio era sair dalí e morar na grande capital do Rio de Janeiro, mas seus pais não podiam, pois eram muito pobres, às vezes nem jantavam direito seus moveis eram uma caminha de tabua de serraria, uma mesa de bar velha, um pequeno fogareiro de duas bocas, um banco de madeira manco, uma geladeira descascando a porta, a rede elétrica clandestina, somente um bico de luz e uma tomada para a geladeira. Lucio trabalhava catando latinha e papelão em Cassemiro D’Oeste, mas tinha muitas outras crianças que também trabalhavam como Lucio e não sobrava quase nada. Lucio era diferente, não roubava não brigava e era inteligente, estudou até a segunda série tinha apenas onze anos. Lucio gostava de uma pequena garota de nove anos que morava na outra quadra uma menina loirinha de cabelos longos e olhos verdes por nome de Mariana mais conhecida como Sujinha. Certa vez Lucio caminhava pela cidade, distraído e de repente um cachorrinho ia atravessando a rua e um carro vinha na sua direção em alta velocidade. Vendo isso Lucio quis salvar o animalzinho, correu para pega-lo, mas não deu tempo, com o animal no colo ele foi pego de raspão pelo carro e arremessado na calçada, Lucio ficou inconsciente com a pancada o pequeno animalzinho sentiu pena e ficou ali, próximo do garoto, logo o socorro chegou e levou Lúcio para o pronto socorro, o cãozinho foi levado para uma clinica veterinária de animais perdidos, lá recebeu tratamentos. Lucio permaneceu seis meses e três dias internados no hospital, logo foi transferido para o hospital do Rio de Janeiro, onde o tratamento seria mais sérios, mais modernos. Com mais ou menos dois meses já recebeu alta, mas não sabia para onde ir, pois não lembrava seu endereço, saiu e foi morar na rua, onde as crianças do lugar lhe insultavam chamando de angolinha, ele chorava, mas de repente apareceu uma senhora e defendendo perguntou seu nome ele disse não sei, perguntou onde morava ele apontou para um papelão no canto de uma parede. A senhora chamava Socorro, morava somente com um neto por nome de Carlos conhecido por Carlinhos. A mãe de Carlinhos tinha falecido e o pai não conhecia. Lucio e Carlinhos ficaram amigos, Carlinhos começou a chamá-lo de Marquinho, porque tinha um amigo que se chamava Marcos e morava no exterior. Carlinhos tinha dez anos e estudava na terceira série, então Marquinho começou a estudar, mas em casa, pois não podia ser matriculado na escola, não tinha documentos. Dona Socorro ensinava a lição de Carlinhos para os dois garotos. Os anos foram passando, Marquinho e Carlinhos cresceram juntos como irmãos. Marquinho começou a trabalhar em uma oficina de carros e Carlinhos em uma imobiliária, vendia e alugava imóveis, Marquinho consertava carros. Marquinho começou a juntar dinheiro e comprar um carro usado, mas seminovo, Calinhos foi juntando dinheiro também e comprou um apartamento no Rio de Janeiro em uma cidade próximo a capital. Carlinhos e Marquinho foram morar no apartamento e começaram a trabalhar juntos em um hotel cinco estrelas por nome de STAR FIVE MOTEL, um hotel que recebia clientes estrangeiros, turistas. O hotel ficava próximo a uma praia onde lotava de turista e surfista. Os jovens trabalhavam a tarde e a noite até as onze horas da noite. Na parte da manhã eles trabalhavam em uma barraca de pranchas para surf. Logo Carlinhos comprou a barraca de pranchas. Nos domingos tinha torneio de surf na praia e Marquinho aprendeu surfar e se inscreveu no torneio. A disputa começa e logo mais adiante uma onda muito alta derruba Marquinho e ele afunda, sua cabeça bate em um coral e ele desmaia. O salva-vidas resgata e leva para o hospital. Marquinho começa a se lembrar das coisas que tinha esquecido antes do acidente, primeiro ele se lembra de uma mulher chamando seu nome, Lucio, depois se lembra de um homem chorando, se lembra de uma menina sorrindo. Sua memória fica boa, mas ele não se esquece do presente, Carlinhos que acompanha o tempo todo conversa com ele e ele diz: _Carlinhos eu já sei quem eu sou e onde eu morava. Carlinhos assustado pergunta: _Então como se chama? E onde você morava? Marquinho: _Eu me chamo Lucio Alves do Nascimento e morava em Cassimiro D’Oeste minha mãe se chama Lurdes e meu pai Jorge e... Carlinhos: _E...!O que? Marquinho: _Me lembro de uma garota por nome de Mariana a qual eu gostava quando era criança. Carlinhos: _Quando você receber alta vai procurar seus pais? Marquinho: _Sim! Claro. À tarde do dia seguinte Marquinho recebe alta do hospital e volta para o apartamento, arruma uma bolsa de viagem e pergunta: _Você na vem comigo? Carlinhos: _E o hotel? Marquinho: _Pede suas férias, eu espero. No dia seguinte Carlinhos vai ao trabalho e pede férias, pois elas já estavam vencidas, então seu patrão diz: _Sim! Claro e ainda dou de presente duas passagens para vocês irem viajar, ida e volta tudo pago pelo hotel o que acha? Carlinhos: _Muito obrigado! Eles viajam para Cassemiro D’Oeste se hospedaram em um hotel e passaram a noite, quando o dia amanheceu eles foram procurar a família de Lucio. Vagamente ele se lembra do caminho, dirigindo-se ate a baixada, não mais encontrou a casinha, mas em seu local havia um grande restaurante, chegando conversou com um funcionário: _ Poderia me informar de umas pessoas? O funcionário: _ Pois não! Quem gostaria de saber? Lucio: _ Sou Marcos e esse moço é Carlos. Carlinhos: _ Muito prazer! Lucio: _ Gostaria de saber se você conhece o senhor Jorge e dona Lurdes. O funcionário: _ Sim! Claro ! Há doze anos dona Lurdes faleceu, pois sofreu muito com o desaparecimento do seu filho Lucio e o seu Jorge esta morando com uma família na outra quadra a família da Mariana. Uma imobiliária comprou o terreno deles e o dinheiro ele gastou com o funeral de dona Lurdes, ele esta doente, quem cuida é a jovem Mariana se você quiser, eu passo o endereço. Lucio já em lágrimas disse: _Não será preciso, eu sei o endereço, o meu verdadeiro nome é Lucio eu sofri um acidente e tive amnésia, somente agora após sofrer outro acidente e voltou à memória até então eu era conhecido como Marcos. Sou o filho do seu Jorge... ... Desculpe-me e muito obrigado. O funcionário ficou sem voz e eles saíram. Carlinhos o abraça e consola dizendo: _ Você não podia fazer nada. Lucio: _ Eu sei, mas se eu estivesse... Chorando eles entram no carro taxi e vão até a casa de Mariana e ao chegar ao portão um grande cachorro vem ao seu encontro e o reconhecendo fica muito contente, Lucio recorda do pequeno cãozinho que ele salvou no acidente, devido sua calda ter a ponta cortada, Lucio abraça o cão e chora. Ao ver o cão abraçado com Lucio Mariana vem ao encontro e diz: _ Cuidado esse cão é bravo ele só fica preso em correntes... ...Parece que ele gostou de você! Lucio: _ Eu salvei esse cachorro de um acidente e o reconheci depois de 12 anos. Lucio: _Me desculpe eu me esqueci de me apresentar, sou... (começou a chorar) Carlinhos abraça e diz: _ Bom eu me chamo Carlos e ele se chamava Marcos, mas... A história é longa podemos entrar, sou amigo irmão dele, o nome real dele é... (pausa)... Lucio, você deve ser Mariana? Mariana: _Mas como você sabe o meu nome? Carlinhos: _ O Marquinho, ou melhor, Lucio me falou de você quando recuperou a memória. Mariana: _ Entrem, vou servir um café. Lucio: _ Mariana!!! Mariana se vira. _Pois não! Lucio: _Eu sou filho do seu Jorge, gostaria de reencontrá-lo. Ao ouvir isto, Mariana se espanta e começa a chorar, abraça Lucio e diz: _Tanto tempo, esperei por você, pensamos que você tinha morrido. (chora) Carlos: Só depois que você ouvir a real história é que você vai entender. Ela diz: _Vou trazer o café e vocês me contam a história e depois eu levo vocês até seu Jorge, aí eu conto o que se passou por todos esses anos. Após tomar o café, Carlinhos contou parte da história e Lucio contou antes do acidente, Mariana entendeu e só então ela os levou para ver seu Jorge. Ao chegarem ao quarto do seu Jorge, Lucio pode notar o zelo, o capricho e a ótima assistência médica que Mariana disponibilizou para seu pai. Mariana tinha seu Jorge como um segundo pai, ela nunca se esqueceu de Lucio e o amava em segredo. Mariana havia cursado faculdade de enfermagem e trabalhava no hospital da cidade, sua dedicação aos estudos estava ligado ao seu Jorge. Lucio se hospeda na casa de Mariana, pois é uma casa grande e espaçosa, ao findar as férias Carlos e Lucio precisava retornar ao Rio de Janeiro para continuar seu trabalho, mas ao se despedirem Mariana diz: _Esperem até amanhã que eu já pedi transferência para lá e vamos levar seu pai conosco, eu tenho um apartamento perto do STAR FIVE MOTEL. Lucio: _É lá nesse hotel que eu trabalho, vamos ficar próximo, também tenho um apartamento perto do hotel. Mariana olha dentro dos olhos de Lucio e percebe que ele também gosta dela e diz: _Lucio, eu preciso falar algo! Há muito tempo, desde que você me conheceu, quando éramos crianças, eu gosto de você, estou te esperando até hoje para te dizer que eu... ...TE AMO. Lucio abraça e diz: Eu também sempre te amei, apesar de ter perdido a memoria, mas você foi a primeira pessoa que lembrei, eu também te amo, só estava tímido. No outro dia Tomaram o avião para o Rio de Janeiro, seu Jorge melhora após o reencontro com o filho perdido, entendeu toda a história. Seu Jorge conheceu dona Socorro e se apaixonou por ela, mas não esqueceu dona Lurdes, resolve morar com ela, Lucio aprova a ideia. Ah! Ia me esquecendo, Carlinhos conheceu Marcia, uma prima de Lucio, que mora em São Paulo e começaram a namorar. Lucio continua trabalhando no hotel até se casar com Mariana, agora ele tira seus documentos com o nome verdadeiro, e começa estudar no supletivo, com cinco anos ele vai para a faculdade, cursa engenharia, ao terminar os estudos ele monta seu escritório. Lucio e Mariana são convidados a serem padrinhos de casamentos de Carlinhos e Márcia. Lucio compra uma grande casa no litoral e nas férias vai com a família incluindo Dona Socorro e seu Jorge, Carlos e Márcia. Na praia particular de Lucio, eles curtem o verão tomando banho em uma bela e alta cachoeira de cinco metros de altura no meio da floresta, no fim da tarde Mariana o surpreende com uma noticia. _Lucio?... ...Eu... ...Estou GRAVIDA. Ao receber essa notícia, Lucio fica perplexo e se senta com lagrimas de alegria nos olhos, abraça e diz: _Meu amor, é a coisa mais importante que aconteceu na minha vida, vou ser pai do filho da mulher que eu mais amo. Se for um menino o nome vai se Marcos, tudo bem? Mariana: _Sim! Claro! Mas se for menina eu escolho. Desse momento em diante Lucio paparica a barriga de Mariana o tempo todo, Carlos e Márcia pedem para compartilhar a alegria com eles dizendo: _Também vamos ser pais, Mariana já havia nos contado de sua gravides e pediu segredo. A festa começou e só teve fim no dia seguinte às nove horas, no fim das férias eles voltam para a cidade e continua a rotina de sempre. Com o passar do tempo os filhos nascem, Carlos e Márcia tiveram um menino colocam o nome de Marcos Antônio e Lucio e Mariana tem uma menina que recebe o nome de Camilly. Dez anos depois: Lucio e Carlos compram um iate e com a família passeiam pelo mar e as crianças brincam no computador na suíte do barco. Marquinho olha para Camilly e diz: Você é tão linda, seus olhos parecem duas lagoas de água azuis e sua pele macia como o pêssego. continua... Evandro Tiso